segunda-feira, 16 de junho de 2008

O básico dos esquemas táticos de futebol

Como todos estão discutindo esquemas táticos, principalmente por causa do meu ABC, vou aqui resumi-los. A fonte é o excelente site www.cidadedofutebol.com.br, que eu recomendo! Os autores dos textos são Leandro Gama e Rodrigo Azevedo Leitão.

4-4-2
O sistema 4-4-2 é formado na linha defensiva por um goleiro, dois zagueiros - um pela direita e outro pela esquerda - e dois laterais (um pela direita e outro pela esquerda). Na linha média, quatro jogadores, variando de função, os volantes e os meias, com as principais alternativas táticas:
1º- um volante, dois meias de armação (um pela direita e outro pela esquerda) e um meia atacante;
2º- um volante, um meia de contenção, um meia de armação e um meia atacante;
3º- dois volantes e dois meias de armação (um pela direita e outro pela esquerda);
4º- dois volantes, um meia de armação e um meia-atacante .
No setor de ataque são três as opções. Pode-se jogar com dois atacantes natos ou com um atacante mais ofensivo e outro que tenha característica de auxiliar na marcação, as principais alternativas táticas:
1º- dois atacantes abertos pela extrema (um pela direita e outro pela esquerda);
2º- dois atacantes pelo meio;
3º- um atacante pelo meio e um pela extrema (um pela direita e outro pela esquerda).
A variação neste sistema está no posicionamento dos meias - "quadrado" ou "losango" e conseqüentemente, na marcação ao adversário. Há várias maneiras para organizar o meio-campo e o ataque, a mais tradicional é a com dois volantes, um armador de cada lado e dois atacantes.


3-5-2
As principais características deste sistema são: a versatilidade para articular as jogadas; maior estabilidade defensiva, em decorrência da presença dos três zagueiros; dificulta as ações e articulações das jogadas da equipe adversária, devido ao excessivo número de jogadores no meio-campo; permite com segurança, que a equipe ataque com sete jogadores, apoio simultâneo dos alas.
Algumas críticas a este sistema devem ser feitos: facilita a saída de bola, devido ao limitado número de atletas encarregados de iniciar a marcação ou mesmo de dificultar as ações iniciais dos adversários, por deixar muitos espaços para a troca de bola por eles para que se movimentem; se o adversário escalar três atacantes ou abrir os dois pontas-de-lança, leva os zagueiros para o lado do campo, dificultando a cobertura do líbero e expondo-o a uma situação de 1x1 contra os atacantes; a presença de mais um atacante obriga o sistema a escalar mais um zagueiro ou prender um volante como se fora zagueiro - mudando a configuração do meio-campo.
O sistema 3-5-2 é formado por três zagueiros de área, que jogam centralizados (eles atuam tanto nas laterais defensivas, nas coberturas ou saídas de bola, quanto em zonas mais adiantadas); no meio-campo, cinco jogadores, dois deles são alas - eles atuam mais em termos ofensivos, restringindo suas ações defensivas em situações de jogo que toda a equipe - e os outros três preenchem os espaços centrais e dois atacantes, que possuem características semelhantes aos que compõem o 4-4-2.


Amplitude de jogo
Você realmente acredita que o que faz uma equipe mais ofensiva ou mais defensiva é simplesmente o “esquema tático” que ela adota?
Certamente teríamos diversos argumentos para sustentar a tese de que sim, o “esquema tático” é o fator determinante para deixar a equipe mais ou menos ofensiva. Porém, todos eles esbarrariam em “antíteses” que os limitariam, derrubando-os. Como exemplo, observemos algo muito comum nos jogos de futebol. Muitas vezes uma equipe fica em vantagem numérica durante o jogo por “expulsão” de um jogador, ou mais, da equipe adversária. O que o treinador faz nesse momento? Caros senhores, se tivessem que apostar seu dinheiro, teriam chances maiorais de vencer se escolhessem a opção “o treinador coloca mais um atacante em jogo” (os mais previsíveis por vezes tiram um volante, por vezes um zagueiro).
A grande questão é se, o simples fato de colocar um atacante faz com que a equipe fique mais ofensiva?

A questão é que para cada plataforma (3-5-2, 4-4-2, 4-3-3, etc) são possíveis alternativas diferenciadas para se alcançar boa amplitude ofensiva. O 3-5-2, por exemplo, com a subida simultânea dos 2 alas abertos pode garantir boa amplitude, porém necessitará de uma estratégia apropriada para ter um bom balanço defensivo de meio campo e melhor posicionamento dos zagueiros para neutralizar contra-ataques adversários. O 4-4-2, com o paradigma do “se sobe um lateral o outro fica”, garantiria melhores amplitudes se um dos jogadores de meio entrasse “aberto” pelo lado oposto ao da bola para confrontar (ou num termo mais futebolístico: bater com) o lateral ou ala adversário (o que se repararmos bem, tem sido prática de uma ou outra equipe no Brasil e já até apareceu em alguns jogos da Seleção Brasileira). Nada impediria de subirem os 2 laterais ao mesmo tempo no 4-4-2. A única necessidade seria adequar a estratégia à plataforma. O mesmo vale para 4-3-3, 4-5-1, 3-6-1, ou qualquer outro.

Para quem quer ler os textos completos (novamente recomendo), os sites corretos são:

Os esquemas táticos, as plataformas de jogo e a amplitude como princípio de ataque
http://cidadedofutebol.uol.com.br/Cidade/Site/Artigo/Materia.aspx?idartigo=6638

A evolução dos sistemas de jogo do futebol
http://cidadedofutebol.uol.com.br/Cidade/Site/Artigo/Materia.aspx?idartigo=1001

Evolução tática e preparação física no futebol - Parte 2
http://cidadedofutebol.uol.com.br/Cidade/Site/Artigo/Materia.aspx?idartigo=247

2 comentários:

FERNANDÃO E + 10 disse...

Parabéns pela "matéria", gostei muito da forma clara e acessível que vc apresentou.
Muito discute-se sobre o esquema tático, especialmente quando a equipe sofre derrotas, porém não sistema tático que sobrevia sem qualidade. A arte do grande treinador é saber adequar qual modelo tático melhor se adapta ao grupo de jogadores que possui.
Fiquei muito curioso quanto as indicações de leitura, que certamente irei acessá-las.
Um abraço aqui do Rio Grande do Sul, Tchê, apaixonado pelo Internacional.
Espero enfrentar o seu ABC brevemente na série A ....

Lula disse...

excelente e verdadeiro a afirmação de que abrindo 2 artacantes nas pontas complica a vida da defesa....
praticamente ,com, o afastamento do libero dos centrais faz-se necessário colocar 5 dfefensores para marcar 3 atacantes , deixando o time defensor em desvantagem numérica..


Lula Páiva